Mercado - 09/09/2019 | Por:

Vendas de máquinas e equipamentos caem 6,1% em junho


A indústria brasileira de máquinas e equipamentos registrou retração nas suas atividades durante o mês de junho de 2019. Segundo dados da ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, em relação ao mês anterior (maio/19) a queda nas vendas foi de 6,1% e em relação ao mesmo período do ano anterior (junho/18), foi ainda maior, 12,1%. Estes resultados eliminaram boa parte da taxa de crescimento acumulada no ano pelo setor. No ano o crescimento acumulado caiu de 7,5% (até maio) para 3,6%. O desempenho de 2019 continua influenciado pelo mercado doméstico, que registrou crescimento de 10,2% no semestre. As vendas para o mercado externo registraram, pelo terceiro mês consecutivo, retração. 

A melhora no desempenho econômico nacional no último semestre de 2018 propiciou aumento da confiança do setor produtivo e estimulou o aumento dos investimentos naquele ano. Infelizmente este cenário mudou um pouco, e os dados recentes mostram relativa desaceleração das atividades econômica doméstica. No mercado internacional há também um cenário de desaceleração. Este cenário é evidenciado pela  desaceleração das vendas de máquinas e equipamentos no mercado interno e externo. Ainda que o semestre tenha encerrado com resultados acima dos observados em 2018, período cuja atividade foi influenciada negativamente pela paralização dos caminhoneiros, esta melhora vem claramente diminuindo.

As exportações encolheram novamente no mês de junho de 2019 (-8,0%) quando comparado com o mês imediatamente anterior. Essa é a terceira queda mensal consecutiva neste tipo de análise. Na comparação interanual também houve queda nas exportações, passaram de US$ 880 milhões em jun/18 para US$ 681 milhões em jun/19 (-22,5%). A acentuada desaceleração do comércio internacional, em razão das tensões entre EUA e China e a crise na Argentina ajudam a explicar a queda das exportações de máquinas observada no primeiro semestre/19.

A queda das exportações de máquinas e equipamentos no mês de junho ocorreu na maioria dos setores exportadores. Mas as maiores quedas ocorreram nos setores fabricantes de Máquinas para Logística e Construção Civil. O setor tem participação de mais de 1/3 das exportações de máquinas e equipamentos e registrou redução nas vendas em junho/19 da ordem de 18%.

Já em Máquinas para a Indústria de Transformação, setor apresentou a maior variação percentual negativa no mês (-23,4%). No ano (1ºsem/19) ocorreu crescimento apenas nas exportações de componentes (+4,4%).

No mês de junho de 2019 o consumo de máquinas e equipamentos diminuiu em relação ao mês imediatamente anterior (-5,0%) influenciado pela redução tanto no consumo de máquinas nacionais (-2,4%) como de importadas (-2,9%). Sobre o mês de junho de 2018 houve crescimento de 8,4% em função, principalmente, do aumento das importações de máquinas, mas também pela melhora  de 1,3% na aquisição de bens produzidos no mercado local. No primeiro semestre de 2019 o crescimento observado foi 11,6%, um pequeno recuou quando comparado com o resultado acumulado até o mês de maio (12,3%).

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria brasileira de máquinas e equipamentos aumentou em 0,5 p.p.. Este nível é 0,3 p.p. acima do observado no mesmo mês de 2018. Apesar desta relativa melhora no nível de utilização da capacidade instalada, a carteira de pedidos da indústria de máquinas e equipamentos recuou um pouco, sinalizando que as atividades produtivas deverão manter um ritmo mais fraco nos próximos meses.

A partir de 2018, o setor fabricante de máquinas e equipamentos iniciou o processo de ampliação do quadro de pessoal, encerrando o ano com pouco mais de 300 mil postos de trabalho. Um aumento de mais de 10 mil pessoas empregadas só em 2018. Em 2019, até o mês de maio, o setor registrou 5 meses consecutivos de aumento nas suas contratações, porém, em junho houve uma pequena redução (-0,4%), provavelmente como reflexo do desaquecimento das atividades do setor. Ainda assim, atualmente o setor fabricante de máquinas e equipamentos conta com 307.526 pessoas ocupadas um aumento de quase 7.000 postos de trabalho no setor em relação ao ano de 2018.