Máquinas - 09/09/2019 | Por:

Mercado interno de máquinas e equipamentos cresce 5,8% de janeiro a julho


No mês de julho a receita líquida da indústria brasileira de máquinas e equipamentos registrou crescimento em relação ao mês imediatamente anterior (+2,4%), mas queda quando comparado com o mesmo mês de 2018 (-5,2%). Em função disto o crescimento acumulado no ano de 2019 encolheu mais um pouco, de +3,9%, observado no encerramento do semestre, para +2,4% até o mês de julho.

Neste mês, a piora nas vendas veio pelo mercado doméstico que encolheu tanto em relação ao mês anterior (9,8%) quanto sobre o mesmo mês de 2018 (-17,2%).
No ano, por outro lado, prevalece a melhora no mercado doméstico que acumulou crescimento de 5,8% no período.

Apesar da desaceleração no cenário internacional, em julho de 2019, as exportações de Máquinas e equipamentos registraram bom desempenho e cresceram 24,1%, tanto em relação ao mês anterior como sobre o mesmo mês do ano anterior.

O crescimento no mês de julho/19 teve como destaques o melhor desempenho nas vendas de dois segmentos:

*Máquinas para Logística e Construção Civil: O segmento possui mais de 1/3 de participação nas exportações do setor e, em julho/19, exportou 23,9% a mais. No período ocorreu a venda de Caminhões-Betoneira para o Paraguai e Material para Andaime, armações ou escoramentos.
*Componentes para a indústria de bens de capital: Com participação de 27% nas exportações do setor, o crescimento no mês foi impulsionado pelas vendas de Torneiras e/ou dispositivos semelhantes para canalizações vendidas aos EUA e, 12,8 principalmente, Holanda.

Este importante crescimento, foi reflexo das vendas de máquinas e equipamentos para o Paraguai e também para Holanda, que juntos contribuíram para reduzir a queda acumulada em 2019, de -7,1% no semestre para -3,2% até o mês de julho.

A desaceleração das atividades nos em países da Zona do Euro, as tensões entre EUA e China e a crise na Argentina, ajudam a explicar a queda das exportações de máquinas ano (jan-jul).